Essa modalidade de orientação auxilia o desenvolvimento de competências dos funcionários de uma empresa.

Mentoria


No processo de desenvolvimento humano no qual as pessoas buscam se superar a cada dia, seja para alcançar objetivos próprios, seja para atender aos diversos padrões que o convívio em sociedade (tanto no contexto social quanto no profissional) nos impõe, precisamos nos valer de conhecimentos que ainda não temos totalmente consolidados.

É fato que ao longo dos tempos, independentemente de qual idade tenhamos no momento, nos tornamos detentores de muitos conhecimentos, que podem ser vivenciais, científicos ou experimentados em ambos os contextos. Porém, quando temos os conhecimentos e não fazemos uso deles com frequência ou quando não os utilizamos associados a outros conhecimentos, fica-nos a sensação de que há uma gap a ser preenchido, o que nos leva em um primeiro momento a buscar cursos de aperfeiçoamento para suprirmos a lacuna que identificamos.

Ocorre que essa lacuna, em muitos casos, não necessita de um treinamento específico para ser suprida. O que se faz necessário no momento é a mentoria de uma pessoa mais experiente,para orientar a forma como os conhecimentos que já obtidos podem ser aplicados de forma efetiva e eficaz para o atendimento às demandas que estão se apresentando naquele momento.

Nas empresas verificamos com mais facilidade esse tipo de necessidade, pois nas organizações a segregação das atividades faz com que sejam criados especialistas em determinados assuntos. Somente eles conseguem resolver determinadas situações, pois, em função de contenção de custos, de uma forma geral, as empresas não podem ou entendem não ser necessário treinar mais de um funcionário para desempenhar a mesma função.

Por mais básico que possa parecer, as empresas não consideram nesse momento o fato de que o funcionário pode adoecer, pode sair de férias e até mesmo demitir-se, o que sem dúvida causará um grande problema para a empresa, considerando-se que, quanto mais importantes às atividades que o funcionário desempenha forem para a empresa, maior será a dificuldade de reestabelecer o processo normal de funcionamento.

Essa situação é cada vez mais recorrente nas organizações, tendo se agravado consideravelmente nos dias atuais em função da situação econômica cada vez mais complexa que o país atravessa. Nesse cenário, a contenção de custos mais do que nunca é fundamental para que as empresas se mantenham competitivas e em atividade.

Analisando esse contexto, qual pode ser a solução para que essas lacunas sejam preenchidas? A solução é o desenvolvimento de mentores dentro das organizações.

Mentoria (2)

Os mentores são profissionais com muita experiência em diversos setores da empresa, na sua grande maioria que optaram pela carreira em Y, ou seja, evoluíram lateralmente dentro das organizações, que conhecem muito bem os processos operacionais das empresas e que devem atuar como orientadores dos profissionais que migraram de uma atividade ou função para outra, sem que haja a descontinuidade dos processos e garantindo dessa forma a operação da empresa sem maiores percalços.

O processo de mentoria se dá de forma gradual e o mentor tem por função orientar o funcionário sob sua responsabilidade a analisar os processos de uma forma sistêmica e verificar a importância de sua atividade no contexto geral da organização.

Esse profissional, com a ajuda do mentor, deve analisar o seu grau de relacionamento com os seus para estabelecer estratégias de aproximação que garantam a realização de suas atividades sem interrupção e sem gargalos.

O mentor deve orientar o funcionário sob sua responsabilidade a fazer uso de todos os conhecimentos que já possui que o levaram até onde ele chegou atualmente, de forma a utilizá-los em sincronia e com sabedoria para auxiliá-lo na realização de suas atividades e, por conseguinte, no alcance dos seus objetivos.

O mentor é um orientador que auxilia e se necessário, direciona o seu orientando no aprimoramento e no desenvolvimento de competências que o auxiliem a desenvolver suas atividades com alto grau de qualidade, focando no desempenho da empresa.

Precisamos atentar que o processo de mentoria é muito diferente do processo de coaching, pois enquanto o primeiro admite o direcionamento e sugestões quanto ao que deve ser feito com base na experiência do mentor e nas competências e experiências do orientando, no segundo, o coach busca estimular o seu cliente a buscar os recursos, que ele mesmo possui, para lidar com os fatores que poderão impulsioná-lo no alcance de seus objetivos.

Autoria: Jarbas da Vitória Junior.

Fonte: SEBRAE